Educação especial – para que serve?

Criado por Wesley Catula em 19 de setembro de 2023 Educação especial – para que serve?

Educação especial – Você já ouviu falar e sabe como funciona esta abordagem de aprendizado?

Neste artigo de hoje vamos conversar com você sobre esse assunto, muito importante, que visa atender às necessidades mais básicas dos jovens com deficiência e dificuldade de aprender.

Então para saber mais sobre o assunto continue lendo este artigo e tire suas dúvidas sobre o tema.

O que é a educação especial?

A educação especial é um dos vários tipos de abordagens educacionais, mas que visa atender as necessidades de crianças, jovens e adultos com deficiência e demais dificuldades para aprender.

Entre essas dificuldades também podemos citar condições que impossibilitam o progresso na escola, necessitando, assim, de um profissional qualificado para atender esta demanda.

Entre os principais objetivos da educação especial nós podemos citar a inclusão e a adaptação destas pessoas para que elas alcancem o máximo de seu potencial.

Cada aluno com deficiência tem a possibilidade de se desenvolver intelectualmente através da educação especial, por isso, mestres e professores são altamente treinados para auxiliar neste processo.

Qual a importância da educação especial?

A educação especial tem um compromisso sério com a inclusão das pessoas com deficiência. Dizemos isto, pois o sistema comum de educação não atende às necessidades especiais e a sala de aula deve ser um ambiente integrado.

Então, esta metodologia permite que os alunos com deficiência interagir de modo saudável com os demais colegas e recebam, também, um apoio individualizado levando em consideração suas principais necessidades.

Essa individualização, reúne planos educacionais, ou seja, estratégias de ensino que possibilitem o aluno a alcançar o máximo possível de seu aprendizado. Pode-se utilizar meios tecnológicos para prestar suporte especializado.

Outro aspecto importante da educação especial está relacionado à legislação. Muitos países ao redor do mundo, garantem por meio de leis rígidas o acesso à educação inclusiva e à educação especial.

E no Brasil, também existe uma legislação específica sobre este assunto. Entre os direitos básicos listados nesta lei, estão estabelecidas as diretrizes para a educação inclusiva.

Como ministrar as aulas especiais?

É importante dizer que a educação especial só pode ser ministrada por profissionais especializados e que estão acostumados a colaborar neste ramo.

Este processo envolve o trabalho de professores, terapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos e outros profissionais que atuam diretamente para o desenvolvimento de seus alunos.

Portanto, as aulas são ministradas de uma maneira que os alunos sintam suas necessidades sendo atendidas. A abordagem deve ser específica e variar de acordo com cada perfil de aluno.

Para você compreender melhor, a educação especial envolve os seguintes aspectos:

  1. Uma avaliação das necessidades especiais, incluindo avaliações acadêmicas, de desenvolvimento, médicas, pontos Fortes e fracos e as áreas que precisam de mais apoio;
  2. Também envolve um desenvolvimento individualizado do plano escolar. Após cada avaliação é necessário criar um plano educacional para este aluno, definindo metas específicas, adaptações no currículo e estratégias para que ele consiga aprender o máximo possível;
  3. O processo ainda garante um suporte individualizado de professores e profissionais de educação. É importante que eles se sintam incluídos e atendidos.

A tecnologia como aliada no processo

A tecnologia também pode ser uma grande aliada no processo da educação especial, desempenhando um papel significativo através das ferramentas e recursos que auxiliam o aprendizado.

É o que chamamos de tecnologia assistiva, pois ela abrange uma variedade de softwares projetados para ajudar os alunos com deficiência a realizar suas tarefas.

A tecnologia assistiva pode incluir coisas como:

  • Sistemas de comunicação;
  • Dispositivos de mobilidade
  • Leitores de tela, entre outros.

Também é necessário utilizar uma espécie de software educativo adaptado. Esse tipo de ferramenta é capaz de oferecer uma abordagem flexível e interativa, auxiliando no aprendizado do aluno.

Para quem indicar a educação especial?

Então como você já deve ter percebido o que estamos falando, a educação especial é direcionada para pessoas com necessidades especiais, educacionais ou outras condições que dificultem o processo de aprendizado.

Por esta razão ela é projetada para que estas necessidades individuais, de cada criança, jovem e adulto, sejam atendidas e eles se sintam apoiados e recebam a oportunidade de aprender adequadamente.

As principais condições que podem tornar a educação especial, incluem necessariamente:

  • Deficiência física – pessoas com dificuldade de mobilidade;
  • Deficiência visual;
  • Deficiência auditiva;
  • Deficiência intelectual – pessoas com limitações na capacidade de aprender e se desenvolver intelectualmente;
  • Transtorno do espectro autista;
  • Transtorno de saúde mental;
  • Transtorno de aprendizagem – neste caso, ansiedade e depressão;
  • Alunos superdotados -serão incluídos em aprendizado avançado para suas necessidades específicas;
  • Distúrbios de comportamento – pessoas com alta dificuldade em habilidades sociais e emocionais.

Por isso, estamos reforçando que a educação especial deve atender as necessidades individuais de cada aluno, fazendo com que ele interaja no meio normalmente.

Existem inúmeras estratégias utilizadas que podem variar conforme a gravidade da necessidade de cada um. No entanto, o objetivo da educação especial é um só: tornar seus alunos, independentemente de suas condições, capazes de aprender e alcançar o seu potencial.

Conclusão

Como você pode perceber, a educação especial visa a inclusão de alunos com as mais diferentes necessidades de aprendizado, fazendo com que eles alcancem a capacidade plena de seu aprendizado, sem deixar lacunas.

É muito importante que esta mensagem seja compartilhada com pais e professores, para que mais crianças e jovens sejam alcançados e conheçam seus direitos.

Então esperamos que o conteúdo tenha te ajudado de alguma maneira, não deixe de conferir outros títulos em nosso BLOG.